quarta-feira, 4 de maio de 2016

Sereismo, e aí cê topa?

 O sereismo está por toda a parte. Seja nas roupas, nos acessórios(já viu o brinco de concha? Tão cute) e principalmente nos cabelos. A moda de cabelos coloridos surgiu há quase trezentos anos atrás, parece muito tempo, não é mesmo? O rei Henrique IV da França, usava um pó para pulverizar os cabelos e dar cor a eles, e por mais incrível que pareça esse mesmo pó era usado como desengordurante de cabelo. Lá pro século XVIII que esse "pó" ganhou cores, conquistou o coração e fez a cabeça da mulherada.
 Esse pó era feito dos mais diversos produtos, como milho, farinha de trigo da pior qualidade. E os de melhores qualidades era produzidos com amido que eram moídos e peneirados. Todos era perfumados com lavanda ou flor de larangeira(chic, não?) E o branco era feito com a crina de cavalo.
 Como tudo na vida, ter os cabelos ou perucas na cor branca era sinônimo de alto escalão da sociedade, ou quem quisera ser bem tratado e respeitado deveria ter pó nos cabelos. Muitos artistas como o Yermolai Kamezhenkov retratou muitas pessoas da alta sociedade, essa foto ao lado é de 1970. Se pesquisarmos a fundo, teremos muitas referências tanto de pinturas como de técnicas, e que por sinal são mega interessantes. Só quis mostrar para vocês que tem dúvidas ou não imaginam como surgiu as tinturas de cabelo.
 Costumo dizer que "sereismo" é a nova palavra no dicionário das fashionistas. Podemos ver nos detalhes e a presença forte que eles tem. Muitas pessoas, infelizmente, ainda tem olhares tortuosos ou uma visão muito fechada sobre coisas "diferentes" ou que não são usadas pela maioria. Quero dedicar esse espaço para todos que amam ser diferentes no meio de tantos iguais, e dizer que juntos, fazemos sim a diferença.
 Além das inspirações de fotos que peguei na internet, trouxe para vocês pessoas que vivem o ''off'" da maneira que mais lhe agradam. E fiz uma pequena entrevista com cada uma delas, amei as respostas e assim como toda entrevista que faço para o jornal, me senti muito rica com cada conhecimento adquirido. O meu muito obrigada a todas! s2


Priscila Lopes Iataboraí, 25 anos - Cabo Frio - RJ


OK: Sereismo, nova palavra no dicionário das fashionistas de plantão. Principalmente quando o assunto é cabelo. Nós sabemos que a moda de madeixas coloridas não é de agora. Você lembra que quando éramos adolescente, e pintávamos o cabelo com papel-crepom-quem nunca- ou com giz? Você acredita que esse episódio ou algum outro influenciou para você ter o cabelo colorido? Se sim, conte-nos. Se não, nos fale um motivo para ter cabelos tão alegres. 

PL: Desde da minha adolescência sempre gostei de mudar o cabelo, por ser uma parte mais fácil de ter mudança no nosso corpo, e também por meus pais deixarem, o cabelo para as Mulheres é muito mais q um acessório é quase uma roupa, e foi que comecei a me apaixonar. Nunca pintei o cabelo de modo errado, sempre quis fazer do jeito certo, era sempre tonalizantes ou tinta. Comecei com mechas vermelhas, que depois foi mexas rosas, e depois para verde, isso com uns 15 anos. Mas com meus 17 anos vou à moda Califórnia, loira mesmo. E fiquei nisso até meus 20 anos que platinei todo o cabelo, e aí foi um susto pq nunca tinha pintado todo o cabelo. É aí com 25 anos pintei de rosa e depois azul e estou com ele, virou minha cor paixão. Minhas inspirações era em desenhos animados. OK: Nós sabemos que é importante ter um cuidado redobrado com o cabelo quando descolorimos. Quais os produtos você indica para quem quer começar a colorir?
PL: Eu faço a uns 3 meses o low poo, que não usa shampoo, (da uma pesquisada na internet e vê se tem como colocar um site aqui que explica o que é) com isso eu lavo o cabelo com sabonete de glicerina e condicionador, o bom que não perco tanta tinta, se eu usasse o shampoo que deixa desbotado devido ao sulfato que tem nele, faço muita hidratação com óleo de coco e cremes brancos, para não interferir na cor do cabelo. Mas evito muitas coisas, entro na piscina e mar com cabelo preso, não usos química como progressiva ou escovas, não uso chapinha nem secador, isso tudo interfere na cor e tb no cabelo que vai estragando.


OK: Agora, como somos todas curiosas, o que você ainda não fez no cabelo que gostaria de fazer? 
PL: quero deixar ele maior, acho que e a única coisas que não fiz ainda é agora é minha meta, deixar ele crescer e ficar azul. Mas uma dica sempre pesquisando um bom produto de tinta e tonalizante, um profissional ou uma pessoa que já mexa com cabelos coloridos, isso ajuda muito a conquistar o que você quer.


Cíntia Rocha, que não é profissional e faz o próprio cabelo, estragando ele de vez em quando, 21 anos, Rio Das Ostras-RJ



OK:Sereismo, nova palavra no dicionário das fashionistas de plantão. Principalmente quando o assunto é cabelo. Nós sabemos que a moda de madeixas coloridas não é de agora. Você lembra que quando éramos adolescente, e pintávamos o cabelo com papel-crepom-quem nunca- ou com giz? Você acredita que esse episódio ou algum outro influenciou para você ter o cabelo colorido? Se sim, conte-nos. Se não, nos fale um motivo para ter cabelos tão alegres. 

CR: Eu não pratico o sereimsmo porque dá muito trabalho, prefiro as cores únicas. Apesar de já ter usado rosa e azul no mesmo cabelo, não faria cores diferentes de novo. É muito trabalhoso retocar, pintar e ajeitar os fios para ficar certinho. Ainda mais que as cores debotam e reagem ao cabelo de formas diferentes. Raramente a cor do pote ou da caixa de tinta vai ficar idêntico ao seu cabelo. Eu nunca usei papel crepom nem nada desse gênero kkkkkk. Minha primeira tintura foi com violeta genciana, que é onde a maioria das meninas começa. Eu via a Marimoon na MTV e achava lindo ela ter o cabelo azul, roxo, verde, e com certeza ela foi fonte de inspiração de várias garotas. Hoje, eu troco de cor mais ou menos uma vez a cada 2 meses, ou menos kkkkk Eu gosto das cores, da autenticidade, ele reflete um pouco do q eu sou. Além do mais, eu me torno um ponto de referencia bem fácil. É fácil me achar em fotos de multidão, ou em praças movimentadas.
OK: Nós sabemos que é importante ter um cuidado redobrado com o cabelo quando descolorimos. Quais os produtos você indica para quem quer começar a colorir?
CR: Sobre os produtos. Eu prefiro os naturai, sempre os naturais. Azeite e outros óleos como de Coco, de Rícino, etc. Mas como não dá pra fugir, cremes com poucos petrolados, e muita queratina.

OK:Agora, como somos todas curiosas, o que você ainda não fez no cabelo que gostaria de fazer? 
CR:Eu não fiz ainda o cabelo da Melanie Cortez, que é separado meio a meio perfeito. Acho muito legal fazer um lado preto e outro branco, tipo a Cruella De vill. Mas isso são planos pro futuro, to num caso de amor com o meu verdinho.


Thamyris Aquino, 23 anos, São Pedro da Aldeira - RJ
OK:Sereismo, nova palavra no dicionário das fashionistas de plantão. Principalmente quando o assunto é cabelo. Nós sabemos que a moda de madeixas coloridas não é de agora. Você lembra que quando éramos adolescentes, e pintávamos o cabelo com papel-crepom - quem nunca - ou com giz? Você acredita que esse episódio ou algum outro influenciou para você ter o cabelo colorido? Se sim, conte-nos. Se não, nos fale um motivo para ter cabelos tão alegres.
TA:Acho que toda garota uma vez na vida pintou com papel crepom. Obviamente, em mim não deu certo quando fiz, porque meu cabelo era escuro (risos). Mas me encantava poder ter um cabelo de uma cor diferente da maioria. E isso me influenciou demais e claro, fazendo o certo, dessa vez, eu pintei de roxo e é a minha cor favorita até hoje!
OK:Nós sabemos que é importante ter um cuidado redobrado com o cabelo quando descolorimos. Quais os produtos você indica para quem quer começar a colorir?
TA:Indico principalmente uma boa máscara de reconstrução, uma boa queratina. Nosso cabelo perde muito quando descolorimos e o que ele mais vai precisar é de massa. Assim, evitamos o temido corte químico.
OK:Agora, como somos todas curiosas, o que você ainda não fez no cabelo que gostaria de fazer?
TA:Nossa há tanta coisa que quero fazer no cabelo, em relação a cores. Quero pintar de quase todas as cores possíveis. Só não penso em rosa, porque não gosto da cor (risos). Mas com determinação e paciência, pretendo entrar em uma dessas tendências.
Vivian Pinto, 20 anos, Rio das Ostras - RJ
OK: Sereismo, nova palavra no dicionário das fashionistas de plantão. Principalmente quando o assunto é cabelo. Nós sabemos que a moda de madeixas coloridas não é de agora. Você lembra que quando éramos adolescentes, e pintávamos o cabelo com papel-crepom-quem nunca- ou com giz? Você acredita que esse episódio ou algum outro influenciou para você ter o cabelo colorido? Se sim, conte-nos. Se não, nos fale um motivo para ter cabelos tão alegres.
VP:Com certeza eu lembro desses jeitos mais alternativos de pintar cabelo! Principalmente porque sempre quis e nunca pude, já que eu não tinha a permissão da minha mãe. Eu sempre quis ser uma fada, sereia ou unicórnio (pobre criança kkkk), e sempre achei lindo cabelos com cores fantasia, que são essas cores mais divertidas e “não reais”, então acho que juntando esse meu gosto antigo com o fato de nunca ter tido realmente permissão pra fazer me levaram a pintar o meu cabelo um pouco mais velha. OK:Nós sabemos que é importante ter um cuidado redobrado com o cabelo quando descolorimos. Quais os produtos você indica para quem quer começar a colorir? VP:Olha, existem muitos jeitos de cuidar do cabelo. Primeiramente, eu indico a todo mundo um descolorante bom e profissional, muitas pessoas descolorem com descolorante de farmácia e alegam não ter problemas, mas eu prefiro comprar produtos profissionais para diminuir o risco de alergias e outras reações adversas. Para cuidar, eu sempre indico fazer o Cronograma Capilar (que nós coloridos apelidamos carinhosamente de CC). Basicamente, o CC é um tipo de tratamento que repõe tudo que o seu cabelo perde quando passa por uma química (como descolorir no caso dos coloridos): Hidratação, Nutrição e Reconstrução. Na minha opinião, a Reconstrução é a etapa do CC que vale gastar um dinheirinho a mais, já que é nela que a gente repõe a massa e os aminoácidos perdidos. Tem muitos produtos e jeitos de cuidar do cabelo, eu gosto muito de mesclar cremes próprios para isso com ingredientes naturais, então o meu top 5 de produtos para cuidar do cabelo é: Yamasterol, Kanechon, óleo de coco, mel e L’oreal Absolut Repair, cada cabelo é diferente, mas esses produtos dão muito certo no meu.
OK:Agora, como somos todas curiosas, o que você ainda não fez no cabelo que gostaria de fazer? VP:To doida pra fazer um rainbow hair, faltam só as tintas!

Espero que tenham gostado do post!
Fiquem com Deus.

Beijinhos,
Thaiza Chiara.